Blog | Silbeck
Hotelaria

As avaliações do seu hotel contam muito

Publicado em
avaliações dos hóspedes que contam muito

Saiba que as avaliações de seu hotel podem, e muito, influenciar na decisão de um possível hóspede

Você costuma dar a devida importância para as avaliações deixadas pelos seus hóspedes? Se não, você pode estar perdendo uma grande oportunidade de melhorar os serviços de seu hotel e o mais importante, você pode também estar pendendo reservas. Como assim perdendo reservas? Segundo a Phocuswright, 80% dos viajantes leem de 6 a 12 avaliações antes de fazer uma reserva.

Mais do que um termômetro da satisfação e engajamento dos clientes para com os serviços, experiências e marca de um hotel, as avaliações têm papel fundamental em muitas outras verticais. E é exatamente isso que veremos neste artigo. Fique ligado.

Você nunca terá o controle sobre as avaliações 

Isso mesmo. Você nunca terá o controle sobre o que seus hóspedes falam de seu hotel. Você pode receber uma avaliação muito boa, ou uma péssima., mas você pode influenciá-lo. Sim, isso mesmo, influenciar. Você pode dizer ao seu hóspede a importância de sua avaliação, não só pelo fato de ter um bom comentário sobre o seu hotel, mas para possíveis erros e correções deles.

Você pode lembrá-los no check-up ou deixar um bilhete no seu quarto pedindo esta avaliação. Lembre-se sempre, não só para esta situação, mas bilhetes escritos a mão dão a pessoa a sensação do quanto ela é importante. Fica a dica!

As opiniões que ajudam 

Acho que vale a pena perguntar: até que ponto o seu hotel aprofunda no feedback dos hóspedes? 

Ele está apenas escolhendo comentários randomicamente em um oceano de respostas, ou está analisando cuidadosamente todas as informações que os clientes fornecem? 

Sabia que essa crítica pode te ajudar a ver quais os setores que o seu hotel pode estar pecando. Imagine que um hóspede deixou uma reclamação sobre a limpeza do quarto. Que tal dar uma atenção a isso e verificar se realmente a crítica é válida. Às vezes, não só no trabalho, mas na vida mesmo, deixamos passar as coisas e pensamo que está normal. Quando alguém fala sobre determinado assunto, é que vamos perceber com mais clareza que aquilo não estavam 100%.  Faça uma reunião com os setores e elabore estratégias para que aquilo não ocorra mais.

Um simples testemunho pode revelar se um funcionário da recepção do turno da noite precisa de mais informação ou treinamento, se o buffet de café-da-manhã está apenas coeso ou superando expectativas, se governança está realizando um trabalho padrão ou abaixo do esperado, etc.

Conclusão

Não importa se você receber uma avaliação boa ou ruim, todas ela tem uma importância igual para seu hotel. Nunca deixe ( n u n c a) de interagir e comentar quando você receber uma avaliação, não importa o canal que veio, isso traz para visão para seu hóspede o quanto seu hotel está preocupado com a qualidade de atendimento e hospitalidade. Não deixe passar por despercebido.

Hotelaria

Design Thinking: inovação na hotelaria

Publicado em
design thinking busca soluções inovadoras baseadas nas reais necessidades do mercado.

Ao longo dos anos o design vem evoluindo e a cada dia está mais presente em várias empresas do mundo. Empresas como Apple e Google investem pesado em inovação. E o principal investimento que citamos aqui não é o monetário, mas o de conhecimento e comportamento organizacional.

A Apple, por exemplo, sempre foi uma das empresas líderes em inovação mundial. E essa característica não poderia ter surgido sem que a empresa, na época liderada por Steve Jobs, tivesse adotado como estratégia principal no desenvolvimento de seus projetos, o Design Thinking.

E é exatamente sobre isso que vamos falar nesse artigo. Continue a leitura.

O que é Design Trinking?

Embora o nome “design” seja frequentemente associado a qualidade e/ou aparência estética de produtos, o design como disciplina tem por objetivo máximo promover bem-estar na vida das pessoas. No entanto, e a maneira como o designer percebe as coisas e age sobre elas que chamou a atenção de gestores, abrindo novos caminhos para a inovação empresarial. O designer enxerga como um problema tudo aquilo que prejudica ou impede a experiência (emocional, cognitiva, estética) e o bem-estar na vida das pessoas (considerando todos os aspectos da vida, como trabalho, lazer, relacionamentos, cultura etc.). Isso faz com que sua principal tarefa seja identificar problemas e gerar soluções.

“O Design Thinking é o equilíbrio entre negócios e arte, estrutura e caos, intuição e lógica, conceito e execução, ludicidade e formalidade, controle e empoderamento.” Fonte: Design Thinking for Strategic Innovation, Idris Mootee.

Na prática, o Design Thinking é uma abordagem centrada no ser humano que acelera a inovação e soluciona problemas de complexos. O Design Thinking propõe uma nova maneira de pensar, baseado em 3 grandes valores:

  • Empatia
  • Colaboração
  • Experimentação

Para colocar em prática o Design Thinking é preciso excluir inferências pessoais e criar um comportamento de observação e proposição de valor real para o indivíduo que possui o problema em questão. A empatia nessa hora é peça-chave do trabalho.

É somente “vestindo o sapato do outro” que se faz possível de fato entender as dores, carências e necessidades da vítima.

Agora, se você, hoteleiro, está pensando que não há problemas para serem resolvidos no seu hotel, então isso é sinal que o seu hotel está se mantendo com 100% de ocupação em 365 dias do ano e com 100% de satisfação dos hóspedes.

Como funciona o Design Thinking

Este método consiste em entender o usuário de um produto ou serviço, e ir trabalhando um conjunto de ideias que sejam as melhores para que se agregue valor em sua utilidade.

Para realizar um projeto com Design Thinking, um projetista deve utilizar métodos empíricos e estar em contato com o público, que deve se beneficiar do produto.

Existem algumas etapas, ou fases, que habitualmente acompanham os profissionais que utilizam esta abordagem, que de maneira geral acontece sobre 5 etapas.

Empatia

A primeira etapa é estar em contato com as pessoas por meio da empatia, buscando se aprofundar no assunto através do relacionamento interpessoal.

Para o caso de se lançar um produto ou serviço, a empatia acontece quando nos colocamos no lugar do consumidor e entendemos a necessidade e utilidade que oferece.

Este processo é essencial para que profissionais que utilizam a abordagem do Design Thinking deixem de lado as próprias suposições, com o objetivo de entender melhor os usuários e suas necessidades.

Definição (de problemas)

Nesta etapa é preciso reunir todos os conhecimentos adquiridos com a empatia e definir a problemática sobre o que se está analisando.

Para esta “definição” é possível, por exemplo, analisar aquilo que pode ser um problema para os usuários de um produto ou algum serviço, atrapalhando ou reduzindo sua utilidade.

Ideação

Após entender as necessidades e os problemas dos usuários é possível passar à etapa de criação de ideias que resultam no desenvolvimento do produto.

Para isso é preciso realizar uma junção de ideias, por técnicas como o Brainstorming, em que o grupo de Design Thinking reúne as melhores ideias, estimulando o processo criativo.

Prototipação

Por esta fase é que começa a concretização das ideias, pela criação do produto com as características planejadas, ou seja, o protótipo.

Com o protótipo é possível reconhecer o modo prático, identificando se o produto oferece aquilo que os usuários necessitam ou se apresentam outros problemas possíveis.

Teste

Após a criação de um protótipo é que se chega a esta fase final, onde é possível testar com rigor o produto a ser criado, tendo em atenção a utilidade que oferece para o usuário.

O processo de teste pode não ser o fim, já que podem ser identificados novos problemas, voltando à etapa de definição de problemas.

Uma das maiores rede de hotéis do mundo adotou o Design Thinking

Jonathan Frolich, vice-presidente de Inovação Global da Hyatt, disse que  a empresa iniciou sua incursão nos princípios de Design Thinking três anos atrás, quando pesquisas mostravam:
•    Taxas de crescimento econômico macro encolhendo.
•    Concorrência global esquentando.
•    Clientes cada vez menos leais às marcas do que eram há 25 anos. 
•    A difusão da tecnologia fazendo com que as pessoas esperem acesso à informação e transparência. 

Uma das maiores marcas de hotéis do mundo voltou para a escola, e começou a usar conceitos de inovação centrada nas pessoas para mudar a experiência dos clientes e sua cultura. 
E os líderes da Hyatt começaram se perguntando: “Por que precisamos mudar, o que é a plataforma para a mudança e por que é necessário?” 
Ficou claro que a Hyatt precisava se diferenciar e romper o “mar de mesmice” da indústria. 

O processo passou por diversas etapas:

Pesquisas com funcionários e clientes.: descobriram que os clientes não tinham controle sobre suas experiências, e que a equipe tinha pouco controle para tomar decisões e resolver problemas que podiam impactar positivamente seus hóspedes. 

Capacitaram seus líderes: para que reformulassem seus desafios e olhassem de uma forma diferente para as oportunidades. Envolvimento emocional e interações autênticas tornou-se a nova regra.

 Experimentos interativos: com iluminação, móveis e nos quartos, se concentraram em transformar toda a experiência do hóspede. 

A experiência afetou a cultura da Hyatt de três formas: 

1- Verdadeira empatia ao projetar produtos e serviços para atender necessidades humanas.
2- Colaboração Radical – acabou com os silos departamentais.
3- Prototipagem rápida – “Falhar cedo e rápido” é o novo mantra da Hyatt, que tornou sua cultura mais colaborativa, com mais pessoas envolvidas no processo de pensamento criativo e na resolução de problemas complexos.

E o resultado veio. A Hyatt ficou, pela primeira vez, entre as melhores empresas para se trabalhar nos Estados Unidos. A mudança na cultura é palpável!

Conclusão

A metodologia de Desing Thinking é uma arma poderosíssima quando utilizada de maneira humana e inteligente.

Aplicada para aprimorar produtos e serviços, ou até mesmo para implementar novas soluções para setores deficientes, o Desing Thinking é um processo que, se instituído de forma correta, pode despontar seu negócio frente a um mercado cada vez mais competitivo.

Faça mais pelo seu cliente e o seu hotel, inove através do Design Thinking!

Hotelaria

4 dicas para você aumentar as reservas diretas no seu hotel!

Publicado em
Reservas Diretas

Qual hoteleiro que não sonha em aumentar suas reservas diretas, sem ter que pagar comissão para OTA’S, né? Um site otimizado, com layout limpo e agradável. Esse já é um passo para você ter mais visitas no site de seu hotel. Mas será que só isso é suficiente para você atrair mais reservas?

A vários fatores que devem que ser bem executado para que de fato seu hotel começar a atrair mais reservas diretas.

Mas como fazer isso? Acompanhe este post que vamos trazer para você 4 dicas para você aplicar agora mesmo e atrair ainda mais reserva diretas para seu hotel.  

Para começar, o que são reservas diretas?

De forma resumida, é toda ação onde o cliente, de forma autônoma, através de um canal de comunicação (telefônica, digital ou presencial), faz sua reserva sem a necessidade de intermediários, dando autonomia na escolha do quarto e das condições de pagamento.

Isso pode trazer inúmeros benefícios para a empresa do setor de hospedagem: diminuem-se os preços dos quartos e aumenta a receita do hotel. Pode parecer contraditório, mas é mais simples que parece: quando o cliente negocia diretamente com o negócio de hospedagem, eliminam-se as comissões pagas a sites de reserva. Sem a necessidade de pagar altas taxas a terceiros, é possível reduzir o preço dos quartos, trazendo uma vantagem competitiva ao hotel.

Mas para que você atrair ainda mais hóspedes para seu site você deve seguir os seguintes passos:

1 – O ranqueamento orgânico que faz mágica

Vários estudos já apontaram (e continuam apontando) como o posicionamento nas buscas orgânicas do Google fazem total diferença na geração de resultados online.

Em um desses estudos, que foi publicado pelo SEMrush, ferramenta que é referência global em SEO, foi apontado que, em média, 90% de cliques são realizados para sites que se encontram na primeira página do Google.

E como se não bastasse já ser extremamente necessário canalizar esforços para estar na primeira página, é preciso buscar as primeiras colocações, pois também foi apontado que 61,5% dos acessos se concentram nos três primeiros colocados dos resultados orgânicos.

Agora reflita: se o seu hotel não está bem colocado nas buscas, imagine quantas reservas diretas ele perdeu para outros sites mais bem colocados – seja de OTAs ou não.

E se o seu hotel tem o costume de realizar investimentos em links patrocinados para alavancar os cliques, saiba que apenas 10% dos cliques se concentram em anúncios pagos. Mas, nem sempre realizar altos investimentos no Google AdWords pode ser o melhor negócio.

Para resolver esses desafios, nada melhor do que ter uma equipe dedicada à otimização para os mecanismos de busca.

2 – Facilitar o Máximo a Navegação do Site para o Usuário

Simplicidade é tudo, e para simplificar você precisa pensar como usuário. Como seu público irá acessar as informações e como ele irá encontrar as informações. Facilitar o máximo para o usuário navegar sem que ele precise ficar procurando.

3 – Menos é Mais, Simplifique as Informações

Quando um hóspede acessa o site de um hotel, é preciso impactá-lo, também, através do conteúdo. E quando nos referimos a esse quesito, ele não está relacionado necessariamente ao “volume” de conteúdo.

Você já deve ter ouvido essa frase, quando você quer publicar um conteúdo, quanto mais direto você for e mais simples for, mais criará engajamento com seu público. Há diversas pesquisas que falam que os usuários leem somente o primeiro parágrafo e já sai do post a procura de outro. Quanto mais direto você for mais você conquistará audiência.

4 – Um bom motor de reservas para fechar

Se o cliente já encontrou e acessou o seu site através do Google, confiou no que viu ao navegar e se sentiu atraído pelo conteúdo apresentado, logo você proporcionou uma experiência inicial positiva para o mesmo. Mas, o trabalho online para converter a reserva ainda continua, pois, a mesma experiência precisa continuar presente através do motor de reservas.

O motor nada mais é do que uma extensão do site, é um membro importantíssimo de todo o processo de vendas. Por isso, sem um bom motor, todo o esforço anterior pode ir por água abaixo.

Hotelaria

Arte da hospitalidade

Publicado em
Arte da hospitalidade

A tecnologia chegou com força no setor hoteleiro, trazendo mais comodidade aos hoteleiro e também aos clientes., mas com tanta tecnologia, alguns hotéis se esqueceram que para conquistar seus hóspedes, a hospitalidade tem que ser o diferencial principal do hotel. Mas, o que é hospitalidade? Se pensarmos de forma objetiva, relaciona-se, para a maioria das pessoas, a capacidade de receber visitantes ou clientes de forma agradável, gerando conforto, permitindo que a pessoa se sinta à vontade e que usufrua de serviços de qualidade.

Neste sentido, torna-se primordial que a empresa e os funcionários dedicados a tarefa de receber alguém, demonstre simpatia, sejam capazes de ouvir e atender de forma eficaz aos seus clientes, estando aptos a receber críticas por serviços que não atenderam às expectativas do cliente ao mesmo tempo que, após os atendimentos, possam aproveitar a experiência vivenciada para melhorar ainda mais o seu trabalho.

Parece óbvio. É bastante claro para todos. São conceitos e práticas que as pessoas demandam, sem exceção. Ainda assim sua realização depende muito de estudo, treinamento, prática no cotidiano, leituras, mentalização e, também, de naturalidade ou espontaneidade. Veja a seguir.

Ter educação é fundamental

A educação dos empregados frente aos hóspedes é o primeiro contato com o hotel. Uma má impressão inicial dificilmente será revertida e o mais provável é a troca pela concorrência. Para evitar esse constrangimento, todos os funcionários, da recepção ao auxiliar de limpeza, devem entender que: ser bem recebido pelos funcionários é fundamental. Um sorriso, cumprimentos de bom dia e se oferecer para ajudar fazem parte da cartilha de recepção, vistas como condutas básicas.

Mas lembre-se: o básico não é o diferencial. Ter educação é mais que um sorriso e meros cumprimentos. Ser educado é estar receptivo para conversar com os pronomes de tratamento adequados. Além disso, manter um ambiente de paz e sossego é essencial. Caso haja uma discussão interna, os hóspedes não devem presenciar o fato. Esses detalhes, embora simples, muitas vezes não são colocados em prática.

Conhecimento

Para um mestre em hospitalidade, ser apenas educado é pouco, ele deve ter conhecimento sobre diversos assuntos que podem ser indagados pelos hóspedes. Quando uma turista pergunta algo simples para um funcionário e ele não sabe, ou pior, a resposta está errada, a pousada perde credibilidade. Para que isso não aconteça, é necessário que o profissional da recepção saiba informar no mínimo os principais lugares, os pontos turísticos, os restaurantes, recomendar comidas e bebidas típicas.

Espírito de servir

O espírito de servir é a principal característica associada ao responsável por recepcionar os turistas. Lembre-se que um hóspede deseja alguém que se importe com ele e dê um auxílio quando necessário. Se não conseguir, pelo menos houve a tentativa.

Essa pessoa deve ser humilde tanto nos acertos quanto nos erros. A humildade está em querer sempre servir da melhor maneira possível, desde uma simples orientação até mesmo dando auxílios específicos, em alguns momentos, inclusive, fugindo da sua função originária. Caso não possa ou não saiba como agir, a pessoa pode pedir orientação, realizar pesquisas, tentar ao máximo ser útil.

Portanto, não é difícil ser hospitaleiro, basta ter boa vontade, dedicação e receber um breve treinamento sobre educação, conhecimento e espírito de servir. Que tal começar agora?

Hotelaria

O que é Web Check-In online e porque adotá-lo em seu hotel

Publicado em

As inovações tecnológicas chegaram para trazer mais comodidade e facilidade a todos. Na hotelaria não é diferente, cada vez mais os hóteis adotam novos recursos para trazer uma experiência diferenciada aos seus clientes. Para evitar muitas filas, e agilizar a entrada de seus hospedes, muitos hotéis vem adotando nos últimos anos o Web Check-in online.

O Web check-in online para hotéis — permitem antecipar alguns procedimentos via web para proporcionar um melhor atendimento ao cliente.

Neste artigo explicamos para você o que é o Web Check-in online e porque adotá-lo em seu hotel ou pousada. Acompanhe com a gente!

O que é Web Check-in Online?

O Web check-in online envolve o fornecimento das informações pessoais mais importantes dos hóspedes no momento de confirmação da reserva, mas os procedimentos desse check-in podem variar de um estabelecimento para outro.

Em geral, essa modalidade de check-in está em alta e pode melhorar a experiência do usuário. Para quem viaja o tempo todo, contar com essas facilidades é essencial.

Mediante as vantagens do serviço, optar pelo web check-in permite que os viajantes tenham algo a menos com o que se preocupar.

Você também priorizar a qualidade nesses serviços possibilita a atração e a fidelização de novos clientes. Mais do que isso, viabiliza mais chances de construir uma imagem positiva de sua marca e de fortalecer o seu negócio.

Por que adotar o Web Check-in no seu hotel?

Imagine um indivíduo que viajou o dia todo de avião, enfrentou filas e escalas, táxis e engarrafamentos para, finalmente, chegar ao destino. Nessas condições, qual o nível de disposição — e de empatia — para enfrentar uma fila ou preencher formulários de check-in tradicionais?

Essa é uma realidade muito comum, principalmente para quem viaja a trabalho e, por isso, aprendeu a valorizar cada segundo de tempo economizado para descansar e relaxar. Logo, proporcionar rapidez e eficiência na chegada ao hotel pode influenciar bastante a satisfação de seu hospede.

As vantagens não acabam por aí. Com todos os dados do cliente em mãos, você pode utilizar para fazer um bom marketing para seu hotel, como envio de promoções para seus clientes, lembretes de dias especial como aniversários e datas comemorativas.  

Conclusão

Então, com quais ações o seu hotel trabalha para simplificar a entrada e saída do viajante? Não se esqueça que, além de aumentar a satisfação do hóspede, também é um processo para otimizar a produtividade na recepção do hotel.

Além disso, não é desperdiçado tempo em filas e evita o tédio que é para os recepcionistas em repetir as mesmas informações 1 milhão de vezes por dia. Com o Web Check in online, todo mundo sai ganhando no hotel!

Conheça o SB Web Check-in

O SB Web Check-in você agiliza a entradas de seu hotel. O sistema permite que seus hospedes preencham seu cadastro online antes do check-in, e no momento da saída, os dados necessários para emissão de documentos fiscais já estarão preenchidos. Converse agora mesmo com um de nossos consultores e conheça essa e outras soluções do SB Hotel.

Hotelaria

5 itens que não podem faltar em um hotel

Publicado em

O mercado de hotelaria é abrangente, uma vez que envolve o meio internacional e nacional. Naturalmente, assim como em outros setores, o empreendedor que almeja um hotel ou até mesmo uma pousada, precisa ter consciência de que a trajetória envolve diversos aspectos a serem interligados para atender as necessidades e as preferências do público-alvo. Os modelos de negócios podem variar, mas de forma geral, entre os itens que não podem faltar nos hotéis, é possível citar:

  • Conforto;
  • Praticidade;
  • Limpeza e manutenção em dia;
  • Canais de distribuição bem definidos;
  • Saúde administrativa e financeira como prioridades.

Os três primeiros itens são básicos em qualquer tipo de hotel, em especial, ao considerar que se trata de um lugar amplamente associado com sensações boas. Assim como com qualquer outro serviço, o cliente quer ter uma boa experiência e no caso do conforto, é algo que pode ser proporcionado principalmente por meio de fatores mínimos, como por meio dos enxovais, mobílias e em cada tipo de ambiente estruturado para os hóspedes.

No caso da praticidade no meio estrutural do hotel, é uma questão que pode ser trabalhada através de meios informativos para que o hóspede identifique com facilidade informações relevantes, rede Wi-fi, meios de acesso a diferentes áreas e para a comunicação com os funcionários.  

Sem dúvidas, nenhum hóspede deseja chegar ao hotel e encontrar uma acomodação em condições ruins, mas nesse cenário, é interessante que o empreendedor considere tanto a área interna quanto a externa. No primeiro caso, problemas com o revestimento devem ser reparados o mais rápido possível, como, por exemplo, o piso de madeira. É válido recorrer a raspagem de assoalho e a mesma cautela se enquadra com questões elétricas e hidráulicas. Já para o segundo caso, serviços como o de limpeza de vidros e fachadas podem contribuir de forma significativa.

Basicamente, os canais de distribuição correspondem às formas de acesso dos clientes aos serviços do hotel. É neste contexto que são envolvidos parceiros e outras maneiras de estabelecer um canal até o público-alvo, como agências de viagens, internet, operadoras de turismo, entre outras possibilidades.

Além dos aspectos abordados, é válido citar que tudo o que é explícito aos hóspedes naturalmente tem ligação com a gestão e nesse cenário, questões administrativas e financeiras devem ser gerenciadas com muita cautela. É um setor crucial para qualquer tipo de empreendimento, pois envolve todos os custos, estoques, aquisições, dívidas, contas para receber, ou seja, caso exista alguma falha nessa área, o hotel como um todo pode ser comprometido.

O papel da comunicação e divulgação

Quando se trata da comunicação e divulgação de uma marca, é algo que tem grande relação com os canais de distribuição. Hoje em dia, devido aos hábitos de consumo cada vez mais voltados para o meio digital, a presença das empresas nas plataformas tem sido cada vez mais explorada de forma estratégica para atrair mais clientes e para fortalecer o negócio, principalmente por meio do marketing digital.

Não basta que exista o interesse em explorar, é preciso identificar com precisão o público-alvo do hotel para estabelecer a forma de comunicação mais adequada, pois em alguns casos, os canais podem ser físicos e digitais. Atualmente muitas empresas atuam de ambas as formas, com um direcionamento cada vez mais preciso para estratégias mais eficazes.

A competitividade nesse setor tem impacto não apenas no tipo de estrutura e serviços que são oferecidos para os clientes, como também nas estratégias. Alcançar um melhor posicionamento nos buscadores, interagir de uma forma diferenciada com os clientes e ter conteúdos atrativos nas mídias digitais são alguns dos métodos relacionados com o marketing digital que podem ser explorados.

A importância da segurança nos hotéis

O empreendedor também deve ter preocupação com a área de segurança no hotel, tanto em relação às instalações físicas quanto no que diz respeito aos colaboradores e hóspedes. É algo que não pode ser deixado em segundo plano por questões de ética, normas vigentes e por impactar na credibilidade do local.

Para as instalações, um exemplo de grande importância é um projeto bem elaborado de prevenção contra incêndio, assim como a solicitação de um AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros), que é um documento que atesta que a edificação apresentava as condições necessárias de segurança contra incêndio no momento da vistoria, sendo exigido também recorrer a avcb renovação no período estabelecido de acordo com os riscos observados.

Já para a segurança das pessoas de forma geral, essencialmente de fatores externos, como crimes, investir nos serviços de uma empresa de sistema de segurança pode ser positivo para a instalação de alarmes, câmeras, entre outras possibilidades para garantir um ambiente mais tranquilo para todos.

Não apenas no caso da segurança, mas em todos os aspectos apresentados no decorrer do texto, é importante que independentemente das especificações atendidas pelo empreendedor, que exista planejamento, controle e organização. Para enfrentar determinadas situações, contar com um time de profissionais qualificados pode ser favorável para uma gestão mais precisa.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Hotelaria

Você sabe o que é RevPar?

Publicado em

Tempo de leitura: 15 minutos

Dependendo de seu conhecimento do setor hoteleiro, este ou é um termo que você usa na hotelaria com a mesma frequência em que diz “olá”, ou apenas o utiliza como um outro jargão do setor hoteleiro

Por extenso, RevPAR significa “receita por quarto disponível.”

Para um operador hoteleiro, RevPAR é a métrica utilizada para definir o sucesso de seu desempenho em um dado período. Ele é calculado com base em quantos quartos de seu estabelecimento estão ocupados, quantos estão disponíveis (ou seja, ocupação) e quanto você cobrou por tais quartos (ou seja, tarifa ou diária média).

Em outras palavras, RevPAR refere-se à receita gerada pelo seu hotel em relação ao seu potencial.

Calcular o faturamento de seu hotel é importante para ter uma boa gestão

Como funciona o RevPAR?

O RevPAR serve para medir o quanto de receita está sendo gerado para cada apartamento disponível no seu hotel, independente do período analisado, seja ele de um dia, um mês ou um ano. Muitos índices da hotelaria são medidos por apartamentos disponíveis no hotel.

Vamos a um exemplo. Imagine que você trabalha para um hotel que possua 10 apartamentos e cada apartamento é de um dono diferente. E para ser justo com todos, você prometeu distribuir a receita gerada igualmente para todos os donos, independente de qual apartamento foi alugado. Cada apartamento, você decide vendar a diária por R$ 100,00 reais. No primeiro dia você consegue vender os 10 apartamentos, então cada dono irá receber R$ 100,00 reais.

No dia seguinte, o que acontece se você vender somente 5 apartamentos? Afinal, você prometeu ser justo com todos os donos. Então no segundo dia, cada um receberá R$ 50,00 reais.

Leia também: O que é Revenue Management e como trabalhar ele no seu Hotel

Então temos o RevPar como índice que mede o quanto de receita que cada apartamento está gerando independente se ele foi ocupado ou não.

Esse índice é importante por que não faz diferença se o hotel tem 100 quartos ou 1000 quartos. O RevPar irá medir a rentabilidade de cada quarto como uma unidade, facilitando a comparação de hotéis de diferentes tamanhos, diferentes tipos e até diferentes regiões.

Como se calcula o RevPar?

O RevPAR pode ser calculado de duas formas:

1- RevPAR = RTH / UHD
Em que:
RTH = Receita total de hospedagens no período
UHD = Unidades habitacionais disponíveis no mesmo período acima

2- RevPAR = DM * TO
Em que:
DM = Diária média
TO = Taxa de ocupação

Além de manifestar o quanto sua estrutura tem sido remunerada pela receita, você pode comparar o RevPAR da sua pousada com o de outros estabelecimentos do mesmo segmento.

Preciso adotar o RevPAR no meu hotel?

Alguns autores enfatizam que o RevPAR não é uma boa medida, considerando que alguns hotéis tem um RevPAR baixo mas possuem muitas UHs que proporcionam receitas melhores. Nessa situação, é preciso avaliar não somente o segmento do hotel, mas também, o porte do estabelecimento.

Muitos gestores estão optando por avaliar a Diária Média como medida de desempenho, sendo que um preço bem estruturado é algo que efetivamente aumenta o faturamento do hotel ou da pousada, e consequentemente a taxa de ocupação e o RevPAR.

E como está a realidade do seu hotel ou pousada? Conta pra gente como você faz a gestão dos indicadores estratégicos.

Hotelaria

Uma boa gestão para hotéis começa com um bom planejamento

Publicado em

Tempo de leitura: 10 minutos

Administrar o próprio negócio é o sonho de muita gente. Mas abrir um novo negócio sempre apresenta suas dificuldades e exige dedicação especial para alcançar o sucesso. No ramo da hotelaria não é diferente. O novo proprietário de um hotel ou pousada, além de saber como bem receber um cliente, precisa entender muito de gestão financeira e de pessoas.
Estabelecer um planejamento estratégico e financeiro é essencial. Sem tal preocupação, um empreendimento deste tipo dificilmente irá para frente. Confira a seguir algumas dicas para empreendedores hoteleiros iniciantes:

1 – Conte com uma equipe qualificada

Recrutar funcionários qualificados e com capacidade de trabalhar em equipe é um dos pontos principais para o sucesso tanto de novos hotéis ou pousadas quanto para estabelecimentos já consolidados no mercado. O pessoal deve ter capacidade de trabalhar com o público e sempre prezar pela qualidade. Investir em treinamento é uma boa alternativa em caso de falta deste tipo de profissional no mercado de trabalho.

2 – Conheça seus hóspedes

Saber a faixa etária ou a média de renda de seu público alvo não é suficiente para seu hotel ou pousada alcançar o sucesso. É importante conhecer detalhes sobre os seus clientes. Ao entender comportamentos, hábitos e preferências, será possível oferecer produtos e serviços mais adequados, aumentando exponencialmente as chances de deixar seu hóspede satisfeito.

3 – Uma boa gestão de compras começa com uma boa negociação

Ter uma boa relação de fornecedores, formar parcerias e conseguir preços menores em produtos e manutenção faz com que os lucros aumentem.

4 – Tenha valor agregado

Investimento em equipamentos de qualidade para garantir o conforto e a comodidade dos hóspedes faz a diferença. Itens como internet de qualidade, roupas de cama antialérgicas, chuveiro com aquecimento central, ar-condicionado, TVs de tela plana e café da manhã agregam valor e podem fazer a diferença entre deixar o cliente satisfeito ou descontente com os serviços oferecidos.

5 – Ofereça preços adequados

Os preços cobrados para a hospedagem e/ou serviços devem ser ajustados de forma que não sejam muito caros ou não ofereçam o lucro ideal. Tais valores devem encontrar o equilíbrio entre esses fatores para que os seus hóspedes possam usufruir do serviço adequado por um preço justo.

6 – Não caia na informalidade

É comum que novos empreendedores deem início às suas atividades de maneira informal. Isso parece vantajoso a princípio, por conta do não pagamento de impostos. Mas tal atitude, na verdade, causa prejuízos, uma vez que não permite o crescimento do seu hotel ou pousada. Benefícios como conta bancária, obter máquinas de cartão de crédito e conseguir empréstimos em bancos de fomento são impossíveis de se conseguir sem um estabelecimento devidamente formalizado.

7 – Capriche na decoração

Decoração de qualidade, que agrade o seu público alvo, é muito importante. Pousadas, por exemplo, podem investir em motivos mais rústicos, praianos ou rurais. Já um hotel executivo pode adotar um visual mais “clean”, que destaque a praticidade e o conforto das acomodações. Obras de arte atraentes (não necessariamente caras), arranjos de flores e boa iluminação tornam todo o ambiente mais agradável.

8 –Faça um bom controle financeiro

Lançar mão de planilhas – mesmo simples -, organizar o fluxo de caixa e utilizar softwares de gestão são algumas das medidas que podem ser adotadas para controlar toda a situação financeira do seu hotel. Sem organização, seu empreendimento dificilmente sairá do vermelho. Com a situação controlada, fica mais fácil planejar o crescimento do negócio. Misturar suas despesas pessoais com as do seu estabelecimento também éuma receita para o fracasso.

9 – Divulgue

Quem não é visto, não é lembrado. Adotar estratégias de comunicação é peça chave para a divulgação da sua pousada ou do seu hotel. Hoje, com a popularização do acesso à tecnologia, utilizar as redes sociais e outras ferramentas da internet é uma opção eficiente e barata para o marketing do seu negócio.

10 – Não tenha medo de mudar

Se a estratégia para o crescimento do seu estabelecimento parece não estar dando certo, não perca tempo. Se insistir neste modelo, seu prejuízo só irá aumentar. Encare a falha como aprendizado e evite, com isso, novos erros.

Conheça o SB Hotel e veja como podemos ajudar seu hotel ou pousada a ter uma gestão completa e eficiente. Converse agora mesmo com um de nossos especialistas. CONVERSAR COM ESPECIALISTA. 

Hotelaria

4 dicas para aumentar suas reservas com a internet

Publicado em

Tempo de leitura: 10min

Não é nenhuma novidade que hoje a internet mudou bastante o turismo no Brasil e no mundo. São muitas informações hoje na web e de fácil acesso. Mas antes de começar a nossa conversa, tenho uma pergunta para você. Se eu procurar hoje no Google, um dos maiores buscadores do mundo, o nome do seu hotel e de sua cidade, eu vou te encontrar lá? Se a resposta for não, continue a leitura pois vamos te trazer 4 dicas para você ter sucesso e aumentar as suas vendas com a internet.

1- Cadastre o seu hotel dentro dos sites de reservas

Hoje existem vários sites que fazem esse tipo de trabalho. A grande vantagem são que esses sites existem um grande fluxo de buscas através deles. São milhares de visitantes todos os meses dentro desses sites. Com o seu hotel cadastrado dentro neles, e se um visitante estiver buscando hospedagem na sua cidade ou região, ele pode te encontrar. Existem vários que oferecem esse tipo de trabalho como Booking, Tripadvisor e Trivago entre outras.

2- Faça o cadastro de todos os seus hóspedes

O Marketing de relacionamento é uma importante estratégia que os hoteleiros têm que usar nos dias de hoje. E o primeiro passo é coletar todos os dados de seus hospedes, como seu nome, telefone, e-mail e endereço. Assim você tem como enviar um email mais personalizado para seu público. Você pode enviar e-mails de aniversários, promoções do hotel, dicas de viagens e entre outros. Assim seus hospedes estarão sempre lembrando do seu hotel.

3- Utilize o email marketing adequadamente

Existem muitas empresas que abusam nos envios de e-mails. Tente ter o bom senso, enviando no máximo 1 email por semana, assim você não lota a caixa de e-mail de seus hospedes e também evita ser marcado como spam. Você pode contar com ferramentas que te auxiliam nos envios de e-mails personalizados. Hoje no mercado existem várias plataformas, e algumas até algumas gratuitas e também as pagas, como MailChimp, RD Station (é a que usamos hoje na Silbeck).

4- Tenha um site e otimizado e atualizado

Quem é empresário ou gestor sabe da importância de manter-se atualizado.
Hoje em dia ter um site, redes sociais são parte de qualquer negócio, seja ele qual for. O fato é que os consumidores se atualizaram e a forma de pesquisar/comprar produtos também mudou. Por isso é importante que as empresas se adequem a essas mudanças para não perderem participação de mercado.

Hotelaria

O que é Revenue Management e como trabalhar ele no seu Hotel

Publicado em

Por: Omnibees Academy

Tempo de leitura: 10 min

Se você ainda não conhece ou não aplica o Revenue Management hoteleiro, não pode deixar de ler esta postagem. Afinal, todo hotel enfrenta o problema recorrente de equilibrar oferta e demanda entre as épocas de alta e baixa ocupação.

Basicamente, o que o Revenue Management (RM) faz é buscar tirar o máximo proveito em cada contexto de mercado. Assim, busca maximizar o lucro nos períodos de alta e aumentar a ocupação nos períodos de baixa.

Embora essa seja uma tentativa habitual no ramo hoteleiro, com o uso do método certo, é natural que o resultado seja potencializado. Então, vamos começar entendendo do que se trata o RM e como ele ajuda nesse que é um dos mais significativos problemas da gestão de hotéis.

O que é Revenue Management hoteleiro?

Revenue Management é um método de precificação que leva em conta a taxa de ocupação e a margem de lucro, buscando o equilíbrio entre esses percentuais. É um método usado para equalizar oferta e demanda em setores nos quais a oferta de produto ou serviço é limitada.

Além do ramo hoteleiro, também se aplica, por exemplo, em companhias aéreas e em locadoras de veículos. Contudo, especificamente no que nos interessa, estamos falando de uso de informações detalhadas e abrangentes com o objetivo de estabelecer o preço ótimo para cada período e cliente. Vamos logo descrever como o RM funciona para ficar mais fácil de entender.

Como funciona o Revenue Management hoteleiro?

O método não é utilizado apenas por grandes hotéis. Então, vamos usar o exemplo de um estabelecimento pequeno, com 12 apartamentos. Digamos que ele aplique uma tarifa média de R$ 220,00. Nesse caso, 100% de ocupação resulta em R$ 2.640,00 de receita diária, certo?

Pois bem, mas e se for possível subir esse valor para algo em torno de R$ 280,00? Note que bastariam 10 apartamentos, ou 84% de ocupação, para garantir uma receita superior. Assim, para que o método funcione, você deve considerar combinar dados de ocupação e previsão para determinar o preço ideal para cada momento.

Obviamente, não é possível conseguir o equilíbrio ideal com a aplicação de tarifas fixas. Mesmo que você determine variações por períodos ou aos finais de semana, por exemplo, não usará todo o potencial do RM.

A tarifa fixa impede, por exemplo, o aumento de preços quando a ocupação estiver próxima de 80%, para reservas de última hora e a concessão de preços especiais para clientes habituais. No entanto, para poder trabalhar com uma tarifa flexível, você precisa considerar o máximo de variáveis possíveis, como:

  • previsão de demanda para a época;
  • taxa de ocupação atual;
  • RevPAR;
  • proximidade da data de reserva;
  • histórico do cliente;
  • taxa de noshow.

Para tanto, evite o cálculo manual. Apenas a desconsideração da taxa de noshow, por exemplo, pode comprometer todo o seu cálculo. Além disso, é trabalhoso fazê-lo devido à quantidade de variáveis.

Não bastasse isso, o profissional da recepção pode não estar (na maioria dos casos não estará) preparado para avaliar todas as situações. Ou seja, você precisa de tecnologia desenvolvida para hotelaria para te ajudar com a aplicação da metodologia.

Ficou claro como se aplica o Revenue Management hoteleiro? Considere também a importância de acompanhar o preço da concorrência para conseguir os melhores resultados na aplicação dessa metodologia. Sem essa informação, o resultado pode ser seriamente comprometido.

Texto original: Omnibees Academy